Júris e Prémios

Júris oficiais:

1) Competição Internacional: Atribui o Grande Prémio IndieJúnior Allianz (no valor de 1.250€)

Luísa Sequeira

Luísa Sequeira é realizadora e faz curadoria de cinema, trabalha em diferentes plataformas, como vídeo, filme e fotografia, explorando as interseções do cinema e dos media emergentes. Neste momento está a fazer um doutoramento em Arte dos Media. Trabalhou em televisão, destaca-se o “Fotograma”, um magazine autoral dedicado ao cinema em língua portuguesa. Em 2017 estreou a sua primeira longa-metragem documental, “Quem é Bárbara Virgínia?”. Realizou e produziu várias curtas, entre elas; Născută, Os Cravos e a Rocha, My Choice, Memória, substantivo feminino, La Luna, Passageira, Mulheres no Palco. Luísa realizou o programa, Porto sem Nó, o vencedor do Festival Internacional de Televisão do Rio de Janeiro. Realizou com o artista Sama, uma série de animação para o Canal Brasil. Desde 2010, é diretora artística do Shortcutz Porto e desde 2012 realiza o Super 9 Mobile Film Fest, o primeiro festival português dedicado a filmes realizados com mobile. Realizou várias exposições, entre elas destaca-se: “A luz da Estrela Morta”, na galeria Nuno Centeno ( 2019) e o “ Tempo dos Outros” no Centro Cultural do Mindelo ( 2019). Em 2019 participou na segunda edição da Creative Residence, organizada pela fundação Meta Cultural, envolvendo artistas através da plataforma Magic Carpets na Roménia. Em 2020 colaborou com o TEP ( Teatro Experimental do Porto) com experiências de cinema expandido e vídeo arte. Atualmente está a produzir um documentário com Ana Luísa Amaral e Luísa Marinho, sobre “As Novas Cartas Portuguesas” e está a realizar uma série sobre “ As Pioneiras do Cinema em Língua Portuguesa”

 

Rita Brandão

Rita Brandão é licenciada em Design de Comunicação – Artes Gráficas pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e Mestre em Design de Produto e Serviços pela Escola de Arquitetura da Universidade do Minho. Está atualmente a frequentar o Doutoramento em Design na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, onde desenvolve o seu projeto de investigação acerca dos contributos do Design para a mediação cultural com o público infantil nos Museus. Nos últimos anos, tem focado grande parte do seu trabalho em projetos relacionados com a infância, o design relacional e emocional, utilizando metodologias co-criativas e participativas. Desde Setembro de 2019 que faz consultoria artística e de design e coordena o departamento de Artes da OSMOPE, uma escola sócio-construtivista, cujo projeto educativo se baseia numa racionalidade de projeto e em metodologias de ensino pela Arte.

 

Rita Capucho

Rita Capucho é co-Directora do Porto Femme – Festival Internacional de Cinema, programadora das Femme Sessions e do Shortcutz Aveiro. Desempenha funções como produtora e programadora em várias organizações culturais. Participa como membro de júri em vários festivais de cinema internacionais. Licenciada e mestre em Estudos Artísticos pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. É membro do grupo de trabalho Correntes Artísticas e Movimentos Intelectuais do CEIS20 – Centro de Estudos Interdisciplinares do Séc. XX da Universidade de Coimbra e do grupo Imagem, Arte, Ética e Sociedade da Universidade Federal do Pará. Membro da AIM – Associação de Investigadores da Imagem em Movimento. É uma das organizadoras do Poetry Slam Aveiro e presidente da direcção do Grupo Poético de Aveiro, do qual faz parte desde 2004, no qual trabalha na organização de vários eventos poéticos. Participou em vários recitais de poesia e encontros poéticos. Actualmente pertence ao grupo coordenador da revista “Folhas letras & outros ofícios”. É uma das organizadoras do São Tomé Festfilm e pertence à Associação ASSECOM-CA. Foi um dos membros fundadores da AVANCA | CINEMA – Conferência Internacional Cinema – Arte, Tecnologia, Comunicação, e também do International Journal of Cinema, onde desempenhou funções como produtora editorial. Foi programadora do Cinema Dolce Vita de Ovar, das “Quintas de Cinema” do Cine-Teatro de Estarreja e de “Os Filmes das Nossas Terças” no Teatro Aveirense.

 

2) Escolas: Atribui o Prémio Escolas para Melhor Filme (no valor de 500€)

Ana Castro

Estudante do 12.º ano da Escola Profissional Tecnológica Psicossocial do Porto em técnico de apoio psicossocial.

 

Gustavo Carneiro

Estudante do Instituto das Artes e da Imagem. A relação entre Gustavo e o cinema começou no dia em que viu pela primeira vez o filme “A Laranja Mecânica” de Stanley Kubrick; o qual já assistiu mais de dez vezes. Este acontecimento foi muito importante para Gustavo porque, para além de introduzi-lo no mundo do cinema, acabou por ter uma influência muito grande na sua relação com todas as manifestações de arte – tanto de forma direta, como é o caso da literatura, como foi quando assistiu ao filme e acabou por comprar o livro no qual este se baseia e daí começou de facto a amar de verdade o ato de ler; como também de forma indireta, já que a partir daí ganhou um muito maior interesse por pintura, música, fotografia, teatro, etc.

 

Tiago Magalhães

Estudante de Multimédia (Animação) da Escola Artística Soares dos Reis

 

3) Público: Atribui o Prémio do Público (no valor de 500€)

 

Os júris poderão ainda atribuir menções honrosas, quando as mesmas se justificarem.

IndieJúnior Allianz